Forte de Rachol

Rachol é uma pequena aldeia que se situa no concelho das Velhas Conquistas de Salcete. Fica na margem esquerda do Rio Zuari e tem como importante monumento o Seminário de Rachol. O forte hoje quase que já não existe, contudo ainda se passa pelo antigo portão de entrada que continua d e pé com o brasão português. Também partes do fosso são visíveis e alguns muros que A igreja dentro da fortaleza no século XIXfaziam parte daquilo que foi um dos maiores fortes portugueses na Ásia.

História
O forte de Rachol foi conquistado em 1520 pelo Krishnarav, imperador do reino de Vijayanagara, ao sultanato de Bijapur então sob comando de Ismail Adil Shah. Cedeu-o no mesmo ano aos portugueses em troca de protecção contra os muçulmanos do norte. No auge da sua importância no século XVI e XVII foi defendido por mais de 100 canhões e nunca mais foi perdido para os hindus ou muçulmanos. Foi renovado e reconstruído em 1604, e após o cerco do guerreiro marata Sambaji em 1684, feito que é assinalado pela seguinte placa:

“SENDO O CONDE DE ALVOR VICE-REI DA INDIA MANDOU REFORMAR ESTA FORTALEZA DEPOIS DE SE DEFENDER DO CERCO DE SAMBAGY, EM 22 DE ABRIL DE 1684.”

Foi renovado mais uma vez em 1745 pelo Marquês de Alorna.

Um mapa que no topo/centro se refere a Rachol, do livro "Fortalezas, Cidades e Povoações da Índia Oriental"