Forte de Aguada

Colocado num ponto estratégico, controlando o estuário do Rio Mandovi, no concelho de Bardez, este forte é dos mais grandes e mais bem conservados em Goa. É visitado por muitos turistas, e conta com a atracção de dois faróis. Um é o mais velho do género na Ásia, o outro bem mais moderno cumpre agora a tarefa de ajudar à navegação marítima.
 O forte é muito grande, com vários baluartes. Estende-se por vários quilómetros quadrados e numa das suas partes junto ao rio Mandovi situa-se presentemente a prisão de Goa.
Á sua volta encontram-se váriosUmm dos baluartes que dá para a Praia de Sinquerim e para o Mar Árabe Hóteis de 5 estrelas, como o Taj, o Fort Aguada Resort, entre outros. Há planos do Departamento de Turismo para um campo de golfe e um complexo turístico para esta zona histórica.

História

Esta praça tinha originalmente o nome de Santa Catarina, mas devido às diversas fontes de águaO farol no século XIX, pintado por A. L. Mendes fresca no seu interior, foi baptizada de Forte Aguada, sendo que aqui os barcos portugueses aportavam para se reabastecerem de água e mantimentos.
Começada a construção em 1604, foi finalizada a parte principal em 1812, data que está (estava?) marcada numa placa:

“REINANDO MUI CATHOLICO REI D. FILLIPE 2.º DE PORTUGAL MANDOU A CIDADE FAZER ESTA FORTALEZA DO DINHEIRO DE UM POR CENTO, PARA GUARDA E DEFFENSÃO DAS NÁOS, QUE A ESTE PORTO VEM, A QUAL FOI ACABADA PELOS VEREADORES DO ANNO 1612, SENDO VICE-REI DÉSTE ESTADO RUI LOURENÇO DE TAVORA.”

Este forte foi essencial na defesa de Goa no bloqueio dos holandese
O forte visto de oeste, na parte esquerda o farol do século XIXs no século XVII e nas diversas incursões guerreiras dos maratas em Bardez. No seu interior encontra-se ainda a Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem (em péssimo estado de conservação) e o farol da Aguada, mandado construir pelo governador interino Lopes de Lima em 1841, que incluía uma grande lanterna e um sino de 2250 quilos. Este sino era originário do Convento dos Agostinhos em Velha Goa. Este sino, está presentemente na Igreja de Panjim. Um moderno farol veio a substituir aquele que foi um dos mais antigos faróis na Ásia.