Selecção portuguesa de futebol conquistou Goa

Selecção portuguesa de futebol conquistou Goa

150 150 Super Goa

O Mundial de Futebol que se realiza há três semanas na Alemanha também tem feito bater os corações goeses com mais emoção. Por todo o estado, apoiava-se o Brasil e Portugal. Depois da eliminação dos sul-americanos, a ligação lusófona de Goa está agora por inteiro com Portugal.

Repete-se o fenómeno de há dois anos, quando milhares de goeses exprimiram publicamente o seu apoio durante a campanha de sucesso da selecção portuguesa no Europeu de Futebol, até à final. Nessa altura venderam-se centenas de camisolas e bandeiras portuguesas e os jogos foram seguidos com grande fervor, de madrugada, pela televisão e pela rádio.

Agora, com as cinco vitórias consecutivas de Portugal na Alemanha, voltam a emergir as emoções futebolísticas dos goeses pelo “team” de Scolari. Com um rival, no entanto. Até Sábado passado, havia também muitos goeses, talvez mesmo uma maioria, que apoiava os brasileiros. Com a elminiação de Ronaldinho e Companhia, o apoio está agora incondicionalmente com os portugueses.

Novas e velhas gerações unidas

Para as gerações mais velhas o apoio a Portugal não é coisa nova. Desde antes de 1961 que seguem, sem falha, o futebol português, tanto os clubes como a selecção nacional.

António Jerome DSouza, 51 anos e gerente de um hotel, lembra que “na época colonial éramos governados pelos portugueses e lembro esses tempos com saudade”. E adiciona: “acho que é porque partilhamos a mesma natureza”.

O fenómeno mais surpreendente, é, no entanto, o apoio a Portugal entre os mais novos. “Eu rezei para que Portugal ganhasse à Inglaterra”, disse Sam Dias à Reuters, de 17 anos de idade, enquanto se apressava para ir para a Praia de Calangute, no Norte de Goa, para comemorar a vitória com outros amigos.

“O meu amor por Portugal não se deve só à nossa história. Eu adoro a maneira como eles jogam futebol, especialmente o Luís Figo e o Cristiano Ronaldo”, confidenciou o estudante, ele mesmo um ávido praticante do desporto-rei.

Esta onda de apoio aos portugueses não é algo inédito. Mas o que é novo é ter passado a público. Se nas décadas passadas se assistia aos jogos na privacidade do lar e dos clubes, agora já se vêem os jogos ao ar livre, em bares e celebra-se sem pudor as vitórias portuguesas na rua. Foi o que aconteceu depois da vitória com a Holanda, e novamente depois do sucesso perante a Inglaterra. O apoio a Portugal não conhece barreiras religiosas – hindus, católicos e muçulmanos saíram juntos às ruas em Margão, Panjim e Calangute para celebrar o sucesso da selecção das quinas.

Também a liberalização da comunicação social indiana tem ajudado. Os jornais têm dedicado grande espaço ao futebol, e as cadeias internacionais de televisão transmitem todos os jogos do Mundial em directo.

Tentativa de ignorar Portugal

Mesmo assim, tem sido nota constante a comunicação social ignorar o apoio a Portugal, reflectindo o políticamente correcto que ainda impera nos media goeses e o medo de serem alvos de pressão de alguns poucos movimentos anti-portugueses.

Durante três semanas, o destaque desportivo e de reportagem nos principais jornais de Goa foi inteiro para o apoio aos brasileiros. Foram só as agências internacionais e alguns media de Nova Deli que cobriram o sentimento de apoio a Portugal entre os goeses. Agora, com a eliminação do Brasil, tornou-se impossível continuar a ignorar a “pista lusófona” do futebol português em Goa.

O ex-internacional indiano Camilo Gonsalves disse ao Heraldo que “a derrota do Brasil deixou-nos todos entristecidos, mas a festa continua. Portugal ainda está vivo e vamos apoiá-los”.

Mas quem mais tem dado nas vistas nas ruas de Panjim e Margão, é Margarida Távora e Costa. Fluente em português e funcionária numa agência de viagens, gere com o marido o conhecido Restaurante Nostalgia, com típica comida goesa e portuguesa, no Sul de Goa, em Raia. Margarida não deixa passas as vitórias do futebol português em branco, nem se deixa intimidar pelas minoritárias correntes anti-portuguesas que ainda existem em Goa.

Vestida a rigor, com um fato especialmente desenhado pelo seu costureiro, Margarida também decorou completamente o seu carro amarelo. Tem, por isso, atraído as atenções da comunicação social indiana que a tem entrevistado nos últimos dias.

“Falámos-lhes do jogo, cantámos o hino etc. É a nossa maneira de demonstrar o sentimento de pertença a Portugal”, refere, antes de se despedir com um “Boa sorte e vamos manter os dedos cruzados. Esperamos que S. Francisco Xavier e Nossa Senhora de Fátima oiçam as nossas rezas”.

Cooperação em reforço

Recorde-se que os últimos anos têm registado renovada cooperação desportiva entre Portugal e Goa, por via da Dr. Susana de Sousa, directora para os assuntos desportivos e de juventude no Governo de Goa, a Associação de Futebol de Goa, a Universidade do Porto e o Comité Olímpico Português.

Vários acordos de cooperação foram assinados, especialmente no capítulo da formação futebolística para treinadores e as camadas jovens goesas. Há igualmente notícia de alguns jogadores portugueses e lusófonos a jogar por equipas goesas, participando nas ligas estaduais e nacionais de futebol, bem como de jovens jogadores goeses em formação em Portugal.