SuperGoa.com

SuperGoa.com
· Página inicial
· Sondagens
· Galeria de Imagens
· Ligações na Internet

Artigos
· Notícias
· Crónicas
· Recortes de Imprensa
· Pesquisar
· Arquivo

Comunidade on-line
· Registe-se!
· Entrada
· Fóruns de discussão

História de Goa
· Dossier Goa 1961
· Cronologia
· Goa Dourada
· Os Bispos de Goa
· Os Governadores de Goa
· São Francisco Xavier
· Fortes de Goa

Agenda cultural
· Calendário
· Nesta semana...
· Pesquisar Eventos
Goa-Trance
· Introdução
· "Goa Gil"
· Agenda
· Fórum de discussão
· Galeria de Imagens
· Ligações na Internet


Palácio do Deão - Quepém, Goa
N O T Í C I A S
SuperGoa.com > Notícias

Invasão de Goa, Damão e Diu foi há 45 anos

18/12/2006   |  Constantino Hermanns Xavier
in: Jornal de Notícias (Paulo Martins)

Ler comentários a esta notícia (1)  Escrever comentário sobre esta notícia  Enviar notícia por E-mail

Comemora-se hoje, como feriado estadual em Goa, o 45º aniversário do fim do colonialismo português e do Estado da Índia Portuguesa. Nas ruas de Goa realizou-se, paradoxalmente, um amplo movimento de protesto popular intitulado "Save Goa". Marcando a efeméride, o Jornal de Notícias recorda o que se passou a 17 e 18 de Dezembro de 1961.

Goa assinou primeira frase do epitáfio do Império Colonial

O Estado Português da Índia foi ocupado há 45 anos pela União Indiana, dando início a uma década negra para o Estado Novo. Salazar reconheceu que território era militarmente indefensável, mas recusou negociação com Nehru e exigiu sacrifício total

Tropas indianas marchando em GoaBatia o meio-dia quando as fragatas indianas entraram no porto. Cunha Aragão, comandante do navio "Afonso de Albuquerque", mandou picar a amarra e abrir fogo. Manobrava, porém, numa área restrita. E aos 60 tiros por minuto da artilharia invasora só podia responder com dois. Estava escrito que não teria condições para rechaçar o inimigo. O 1.º grumete telegrafista Rosário da Piedade pagou com a vida a supremacia das forças navais de Nehru.

Gravemente ferido, o capitão-de-mar-e-guerra Cunha Aragão seria mais tarde promovido a comodoro. Um prémio para a ousadia demonstrada na (impossível) defesa militar do Estado Português da Índia, desaparecido nesse dia 19 de Dezembro de 1961. Contrastante com a sanha persecutória que se abateu sobre o governador-geral Vassalo e Silva e 23 outros militares alvo de punições.

Não durou mais de 36 horas o primeiro golpe sério no Império Colonial Português, premonitório de uma década de guerras de libertação, cujo embrião fora, em Fevereiro desse ano de 1961, o ataque de nacionalistas angolanos à prisão de Luanda. O contingente militar nos longínquos - e dispersos - territórios de Goa, Damão e Diu fora reduzido, dada a necessidade de reforçar Angola.

Não ultrapassaria 3500 efectivos, apoiados por 900 indo-portugueses mal armados e duas companhias de polícia, quando à meia-noite de 18 de Dezembro a União Indiana desencadeou a invasão. A "operação Vijay", que envolveu 45 mil tropas, apoiados por blindados, aviões de combate e até um porta-aviões, matou à nascença qualquer veleidade de defesa. Bombardeado o aeroporto e silenciada a estação radionaval, seria uma questão de tempo até à rendição sem condições. No terreno, ficaram 26 cadáveres. O restantes militares foram feitos prisioneiros.

Gen. Vassalo e Silva assinando os termos de rendiçãoErguer a bandeira branca era a única opção que Oliveira Salazar recusava liminarmente. Quatro dias antes, enviara a Vassalo e Silva uma mensagem clara. "Não prevejo a possibilidade de tréguas, nem prisioneiros portugueses, como não haverá navios rendidos, pois sinto que apenas pode haver soldados e marinheiros vitoriosos ou mortos", escreveu o ditador, exigindo ao governador-geral, também comandante militar, que aguentasse oito dias, tempo considerado necessário para que o Governo mobilizasse instâncias internacionais.

Negociar, nunca

Bem sabia Salazar que nenhum país sairia em seu socorro. Nem os Estados Unidos de John Kennedy, a que pedira uma declaração pública susceptível de dissuadir Nehru de abocanhar a Índia Portuguesa. Era, portanto, a imolação o que pedia, por nunca ter aceitado a alternativa negocial proposta por Nova Deli.

Nehru, ponta-de-lança do Movimento dos Não-Alinhados, com o indonésio Sukarno e o egípcio Nasser, apresentara como pacifista a sua Índia, libertada em 1947 do jugo britânico. A comunidade internacional percebera que não abdicaria de completar a descolonização, o que envolvia territórios sob soberania portuguesa e francesa.

Mário Soares, a 31 de Dezembro de 1974, reconhecendo em tratado a soberania indianaAo contrário de De Gaulle, Salazar supunha poder manter intocável o extenso império, herança das Descobertas. A sua intransigência era política, não económica. Desse ponto de vista, Goa valia muito pouco; Damão e Diu ainda menos. Em conjunto, habitavam os territórios 625 mil pessoas. Como se tratou de uma invasão "anunciada", quem quis saiu a tempo, por via naval ou aérea. Ignorando o apelo de 13 de Dezembro da Emissora de Goa: "Se nos atacarem, ficaremos aqui sepultados".


Dossier Goa 1961 Supergoa.com

Visite o dossier especial que o Supergoa.com preparou por ocasião do 40º aniversário da invasão, em Dezembro de 2001, bem como a respectiva montagem animada gráfica.

Enviar Notícia por E-mail

Último comentário adicionado
De: vikky  
Esse Salazar bem sentado na cadeira em Lisbon podia pedir tudo,porque os pobres e esfaimados soldados estavam longe em terras estranhas.
Mas essa mesma cadeira matou-o.
Pobre louco que estava pedindo tratamento anti senil

Ler todos os comentários  |   Escrever comentário
 

Notícias anteriores Mês
Shri Betal Prasannah estudado na Revista Oriente 18/12/2006 Ler comentários a esta notícia (0)
Embaixadora indiana Latha Reddy deixa Portugal 17/12/2006 Ler comentários a esta notícia (0)
Goeses lembram Pedro Adão 15/12/2006 Ler comentários a esta notícia (0)
Fala-se concani na Liga Portuguesa de Futebol 15/12/2006 Ler comentários a esta notícia (1)
«Vasco da Gama não queria mulheres nas naus» 11/12/2006 Ler comentários a esta notícia (0)

Pesquisa
Login Comunidade
Alcunha
Password
· Registo gratuito
· Recuperar Password
Agenda
Ver mais eventos
Últimas Notícias
Supergoa.com encerra
Bombas de Bombaim com origem em Carachi
Índia: Goa "não é muito longe" do terror de Bombaim
QUEM QUER FERIR A ÍNDIA ATACA PRIMEIRO BOMBAIM
Mais notícias
Últimas Crónicas
Opinião:
Leopold, o café de toda a gente, em todo o mundo
Opinião:
Portugal and Goa in the 21st Century: Towards an Alliance of the Small
Opinião:
UNWRAPPING GOAN IDENTITY: Finding the right distraction to schizophrenia?
Opinião:
The Culture Brokers: Undervaluing The Goan Cultural Fluidity (VM)
Mais crónicas
Sondagem
Por que razão é que os empresários portugueses continuam ausentes da Índia?






Outras sondagens
Fórum
Últimas mensagens
Para profundis
Para orlacagando
Para o Agnel
Excelente viriato1
A hipocrisia continu
costa rica corrupta
Goa no G-20 com Obam
Pexer and Panch
Leia mais e participe


 

© 2014 Todos os direitos reservados · Contacte-nos: info@supergoa.com
A utilização deste site pressupõe a concordância com os seguintes Termos de Utilzação